ProUni: como funciona e principais diferenças entre ProUni, Sisu e Fies

terça-feira, fevereiro 06, 2018
 Quer entender como funciona o ProUni (Programa Universidade Para Todos) e saber a principal diferença entre ProUni e Sisu e ProUni e Fies? Então continue lendo esse post que fiz com todo carinho para você nesse momento decisivo, afinal as inscrições para o ProUni abriram hoje.


ProUni


 Já vou começar explicando que o ProUni serve apenas para instituições privadas/particulares, ou seja, com o Programa Universidade Para Todos, você tem a chance de ganhar bolsas integrais (não vai pagar nada de mensalidade) ou bolsas parciais (vai pagar metade da mensalidade).

 Para estar apto a participar do ProUni, você precisa atender à, pelo menos, uma dessas exigências:
i) Ter cursado seu Ensino Médio (EM) completo em escolas públicas ou em escolas particulares na condição de bolsista integral (precisa de um documento para comprovar isso), porque o governo entende que se você teve dinheiro para pagar o EM em escolas particulares, você não é carente de bolsa.

ii) Ser estudante com deficiência

iii) Ser professor da rede pública de Ensino, no quadro de pessoal permanente e estar no exercício do magistério da educação básica. Atendendo à essa exigência, não é necessário comprovar renda.

 Atenção: exceto no caso de professores da rede pública (exigência iii), que não precisam comprovar renda, os demais só podem ganhar bolsas integrais se tiverem, no máximo, renda de 1,5 salário mínimo por pessoa da família (entende-se como família, nesse caso, o conjunto de pessoas que habitam na mesma casa que você). Já para as bolsas parciais, a renda deve ser de, no máximo, 3 salários mínimos por pessoa.

 Por exemplo: moram cinco pessoas em uma casa e três delas trabalham. Duas dessas três ganham um salário mínimo, e outra pessoa ganha R$2.500. O candidato deve somar o valor ganho pelas três pessoas que trabalham e dividir pelas cinco pessoas que moram na mesma casa. 
 Ou seja, mesmo que a terceira pessoa ganhe bem mais, quando soma o valor de todos que trabalham e divide pelo total de pessoas numa casa, não dá mais de 1,5 salários mínimos por pessoa e a pessoa pode tentar conseguir uma bolsa integral. Agora, é só aplicar a mesma coisa na sua realidade e descobrir sua renda per capita (por "cabeça" ou por pessoa).

Como funciona o ProUni


 Bom, logo quando você abre o site do ProUni já encontra essa página da imagem acima. Então, enumerei as principais partes para elaborar esse post de forma bastante compreensível.

1 - Para realizar sua inscrição, basta clicar no botão verde Fazer Inscrição (do quadrinho 1) e inserir seu número de inscrição do ENEM e sua senha no ENEM. Caso não se lembre, na página do participante do ENEM tem essas informações. A partir daí, é só preencher os dados solicitados. Esses dados estarão como na imagem abaixo:

Como funciona o ProUni

a) Dados do candidato: onde coloca endereço, números dos documentos etc. Lembrem-se de sempre falar a verdade em todos os dados, porque eles precisarão de documentos de comprovação na hora da sua matrícula.

b) Questionário: aqui você fala sobre onde estudou, sua cor/raça, se possui ou não deficiência e outras coisas relacionadas a você. Mais uma vez, ressalto a importância de não mentir, porque os dados precisarão ser comprovados por meio de documentos depois. 

c) Grupo familiar: esse é o local para cadastrar TODAS as pessoas que moram com você (sem esquecer de ninguém, em?!). Na imagem abaixo estão os dados solicitados nessa aba.

Como funciona o ProUni

 Você precisa colocar sua renda (já que você já preencheu outra aba com seus dados) e os dados e a renda de seus familiares. Primeiro, escolha em "Membro do Grupo Familiar" qual o grau de parentesco entre a pessoa e você (avô/avó, pai, madrasta etc.), coloque o nome completo, o CPF, a data de nascimento da pessoa e a renda que ela possui. Para adicionar o membro e abrir espaço para adicionar outro, basta clicar no botão azul "Adicionar".

d) Cursos: Agora é a parte onde você escolhe quais cursos você quer em 1ª opção (o que você mais quer) e em 2ª opção (o que você quer cursar se não passar na 1ª opção). Lembre-se de não repetir a mesma coisa nas duas opções, porque isso não aumenta suas chances, será como se tivesse colocado uma opção só. Mude, pelo menos, o turno. 

2 - Como mostra o quadrinho 2 da primeira imagem, após fazer sua inscrição, você pode ver sua inscrição e alterar seus dados ou opções. Caso você mude suas opções antes do fechamento das inscrições, a última modificação salva é a que valerá. Então, esteja atento!

3 - Caso você queira pesquisar em quais cidades e instituições tem o curso que você quer ou quantas bolsas integrais e bolsas parciais estão disponíveis, basta ir em "Pesquisar Bolsas", como mostra o quadrinho 3.

4 - No quadrinho 4, está o cronograma. Esteja extremamente atento aos prazos dele, porque a instituição não será culpada caso você não apareça dentro do prazo correto e com a documentação adequada.

 Atenção: Justamente por conta dos prazos, esteja procurando na instituição onde você deseja a vaga, pessoalmente ou por telefone, TODOS os documentos que você deverá levar para comprovar seus dados e fazer sua matrícula, caso passe. Porque as escolas possuem prazo para entregar documentos, como o histórico, então se você deixar para a última hora ou esquecer de levar algum documento, pode não conseguir se matricular dentro do prazo.

5 - Se você ainda tiver dúvidas após esse post ou quiser informações complementares, é só ir lá no quadrinho 5 e escolher o tópico que você quer ler.


É IMPORTANTE LER TAMBÉM:



ProUni e Sisu


 ProUni e Sisu fazem parte de nichos separados. No ProUni você pode conseguir bolsas integrais ou bolsas parciais em instituições privadas, mas precisa ter estudado apenas em escolas públicas ou particulares na condição de bolsista integral. 
 Além disso, para conseguir o tipo de bolsa parcial, a renda per capita da sua família (pessoas que moram no mesmo ambiente que você) não pode ultrapassar 3 salários mínimos, ou 1,5 salários mínimos para quem quiser apenas bolsas integrais.
 Já o Sisu é o meio de ingresso apenas de instituições públicas, portanto não há possibilidade de estudar pelo ProUni se você já estuda pelo Sisu, a não ser que você desista da sua vaga na instituição pública e vá para o ProUni.
 O Sisu possui cota por renda, mas caso a pessoa tenha uma renda per capita alta ou tenha estudado o Ensino Médio completo ou parte dele em escolas particulares, pagando ou com alguma forma de bolsa, você ainda pode se inscrever na ampla concorrência ou em opções que permitam.
 Ou seja, o Sisu é bem mais abrangente que o ProUni. Sendo assim, as notas do ProUni tendem a ser mais baixas, porque a concorrência diminui bastante, já que algumas pessoas entram numa instituição pública e que as inscrições pelo Sisu abrem primeiro que as do ProUni. 
 Outras pessoas têm um preconceito com instituições privadas por não entenderem que se o aluno for bom, ele será bom em qualquer lugar. E outros não atendem aos pré-requisitos do ProUni.

ProUni e Fies


 Enquanto o ProUni e o Sisu são coisas bem diferentes, o ProUni e o Fies são coisas complementares. Caso você consiga uma bolsa parcial (50%) no ProUni e não tenha dinheiro para pagar a outra metade, você pode financiar essa outra metade pelo Fies.
 Fora esse caso de colocar o Fies na mesma instituição, curso e turno que o ProUni para complementar sua bolsa, você não pode usar os dois juntos.
 Com o Fies, você pode financiar seu curso completo ou uma parte dele através do banco. Ou seja, enquanto no ProUni você ganha bolsa e não paga nada (bolsa integral) ou paga metade (bolsa parcial), no Fies você vai pagar tudo que você financiou um tempo depois de formado.
 Eu utilizei ProUni e Fies juntos no meu primeiro semestre da faculdade e só digo que valeu a pena, porque foi o pontapé inicial para os meus estudos. Fora isso, eu tive que pagar juros de três em três meses e esperar para pagar as mensalidades com muito descaso do banco, sem me dizerem quanto e quando eu iria pagar e tudo mais.
 E isso já estava previsto no edital do Fies, só que com o brilho da oportunidade, ninguém para pra pensar nessas coisas. Então, cuidado com suas decisões, porque dos três programas, o Fies é o único que te dá a oportunidade de estudar, mas vai querer tudo de volta depois.
 Esse ano, o Fies mudou e existe opções de financiamento de curso sem juros, o que é a opção ideal para quem quer se livrar dos terríveis boletos de juros de três em três meses. Mas, mesmo assim, caso você tenha outras opções, meu conselho é se afastar do Fies.

 Ufa! O post ficou grande, mas acho que expliquei tudo direitinho e espero que vocês tenham gostado. Lembrem-se de deixar um comentário sobre o que acharam, sobre dúvidas ou algo que queiram falar. Ah, e se o post te ajudou de alguma forma, por favor, compartilhe ele para que mais pessoas vejam. Abraços!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.